Ação Socioambiental: Preservação de Nascente e Mata Ciliar - Chapecó - SC


Descrição

A ação foi desenvolvida na Linha Serraria Reatto, na propriedade da família Scussel, interior do município de Chapecó/SC, em junho de 2013. A família trabalha com atividade de olericultura e depende da água para o abastecimento da produção. A atividade de preservação de nascente e mata ciliar contou foi realizada em uma área de 200 m², em parceria com a RIC TV Record de Chapecó, alusiva ao Dia Mundial do Meio Ambiente.


Objetivo

Preservar a mata ciliar da nascente garantindo água de boa qualidade.


Ações

O plano de revegetação de uma área degradada deve ser a sucessão secundária, no sentido de recuperar a forma e a função da paisagem anterior. Este processo caracteriza-se principalmente por seu gradual aumento e substituição de espécies no tempo, em função das diferentes condições ambientais que vão se estabelecendo, às quais diferentes espécies se adaptam melhor.

Como forma de recuperar este espaço foi realizada a recomposição ambiental da área de 200,0 m² com o plantio de 150 espécies arbóreas nativas características da região do bioma Mata Atlântica, com espaçamento aleatório de 2,0 x 2,0 entre plantas e entre linhas, plantadas aleatoriamente pelo local.


Resultados

Este projeto busca demonstrar a importância da recuperação e preservação das Áreas de Preservação Permanente. É preciso projetar um plano futuro para a área em recuperação e área de influência direta, levando em consideração as situações desfavoráveis e inusitadas, focando a importância da educação ambiental, envolvendo as famílias diretamente e as que indiretamente podem contribuir para a preservação da mata ciliar. Com a preservação ambiental busca-se o aumento da biodiversidade local, a conservação da água e do solo, além da recarga hídrica do lençol freático da região. 


Números do Projeto

Local: Chapecó - SC

Famílias beneficiadas: 03

Atividade com monitoramento periódico

Ações

Escoteiros visitam preservação ambiental

31/10/2015

Conhecer e perceber a importância do ambiente preservado. Este foi o objetivo da visita dos lobinhos do Grupo Ximbangue, na ação socioambiental de Preservação de Nascente e Mata Ciliar, executada pelo Programa SOS Sustentar, em parceria com a família Scussel, na Linha Serraria Reatto. 

A atividade busca conscientizar sobre a importância da preservação ambiental e na oportunidade os escoteiros receberam a Insígnia Mundial do Meio Ambiente (IMMA), que é o requisito para o certificado do Cruzeiro do Sul.

Escoteiros visitam preservação ambiental

Grupo visitante

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros também conheceram as estufas de hortaliças

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros realizaram atividades no local

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros também conheceram as estufas de hortaliças

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros também conheceram as estufas de hortaliças

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Crescimento vegetativo foi acompanhado pelos escoteiros

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Escoteiros visitam preservação ambiental

Escoteiros visitam nascente preservada

Acompanhamentos

Acompanhamento III

10/04/2018

Este foi o terceiro monitoramento realizado na área e, nesta data, com ótimas condições de avaliação da efetividade das ações realizadas. A área foi isolada com a colocação de cerca, o que resultou no favorecimento da regeneração natural da área. As mudas nativas, plantadas no entorno da área da nascente, principalmente as frutíferas percebemos que tiveram grande crescimento, e ainda as mudas de árvores nativas plantadas a montante (área acima da nascente) tiveram um crescimento bem significativo.

Na área a jusante (abaixo da nascente de água), por se tratar de uma área de banhado, onde à elevação do lençol freático e que impediu a “pega” das mudas devido ao impedimento da respiração das raízes, está em crescimento vegetação característica de banhado. Vale salientar que no local encontramos diversos exemplares de xaxim, espécie nativa e na lista de espécies com risco de extinção no Brasil.

O reservatório da nascente está revestido com tijolos e concreto, segue com nível de água regular e sempre com sobras de água no seu entorno, a qual deságua em um reservatório próximo ao local, que fornecem água suficiente para utilização nas atividades da propriedade.

Segue-se as recomendações do relatório de monitoramento anterior, de manter o isolamento da nascente para permitir o bom desenvolvimento das mudas e regeneração natural que estão a montante. E na área a jusante é indicado que não ocorram intervenções, permitindo a continuidade da regeneração natural da área por espécies nativas e adaptadas às condições locais.

O isolamento do entorno da nascente, juntamente com as árvores plantadas propiciou um incremento na regeneração da mata ciliar, de forma mais rápida, que está visivelmente percebida ao longo desses cinco anos. A capacidade de auto-recuperação da área se mostra bastante significativa, possibilitando empregar tal técnica. Ao chegar na propriedade já é fácil identificar qual a área de preservação, devido a mudança na paisagem do local.

Acompanhamento II

09/07/2014

Este foi o segundo monitoramento realizado na área e já temos condições de avaliar definitivamente a efetividade das ações realizadas. A ação de preservação teve como resultado positivo a instalação da cerca de isolamento da área da nascente, favorecendo a regeneração natural da área. A ação também foi positiva para as mudas de árvores nativas plantadas a montante (área acima da nascente) e tiveram um pegamento superior a 80%.

Na área a jusante (abaixo da nascente de água), o plantio das mudas de árvores teve baixo índice de pegamento, principalmente pelo fato de ser uma área que sofre com a elevação do lençol freático, impedindo a respiração na região das raízes das plantas e provocando sua morte.

As recomendações para a área são manter o isolamento da nascente para permitir o bom desenvolvimento das mudas que estão a montante. Na área a jusante o mais indicado é que não ocorram novas intervenções, permitindo uma regeneração natural da área por espécies nativas e adaptadas às condições locais. 

Acompanhamento I

18/09/2013

Neste primeiro monitoramento, as mudas encontram-se livre da infestação de gramíneas e estão controladas ao seu redor, não causando abafamento nas árvores plantadas. Seu crescimento varia em torno de 25cm (três meses). Muitas mudas acabaram sofrendo com o intenso frio do inverno e outras não sobreviveram, havendo inclusive a necessidade de um replantio, para fortalecer a ação e obter total sucesso na “preservação”.

A área foi isolada de modo a não permitir a entrada de animais domésticos no local, garantindo um melhor desenvolvimento das mudas, incorporando sementes de espécies nativas, considerando também o banco de sementes do local a fim de acelerar o crescimento e recuperação da área garantindo uma maior diversidade de espécies e melhor recomposição do local.

Não ocorreu alinhamento na distribuição das mudas, sendo aleatório ao terreno, simulando recomposição natural da mata. As mesmas foram distribuídas de tal forma que as espécies pioneiras corresponderão à primeira camada seguindo pelas espécies responsáveis pela manutenção do solo (fertilidade e contenção de erosão), intercalada com as espécies arbórea com suas respectivas funções.  O objetivo principal desta atividade é tornar o local mais idêntico com a formação original.

O investimento previsto nesta ação ambiental é de R$ 1.947,00.

Compartilhe nas redes sociais